wNove meses
Um web log estritamente sobre o campeonato brasileiro mais longo de toda a hist?ria, que durar? nove meses, e onde o campe?o ser? aquele que fizer mais pontos.


wArchives:


-- HOME --



wLinks para os times:




















































This page is powered by Blogger. Why isn't yours?
wquinta-feira, maio 26, 2005


CAVALOS PARAGUAIOS E JUVENAIS

A coluna Nove Meses parece que foi um cavalo paraguaio aqui deste TOQUE DE CRAQUE: largou bem, sendo publicada certinho, mas já na terceira rodada começa a atrasar. Não é mole ? entre compromissos que o Paralelos (http://www.paralelos.org) tem com um site especial da Bienal e o meu trabalho direto no Jornal do Brasil, sobrou pouquíssimo tempo. Por isso, este cavalo paraguaio atrasou uns três tempos. Estou entrando no ar na quarta-feira, por isso vamos falar um pouco da rodada que passou e outra tanto da rodada que virá.
E já que falamos de cavalos paraguaios e Juvenais, explica-se as duas expressões: uma, o torcedor médio já conhece, imortalizada pelo baixinho Romário, que é o cavalo paraguaio, aquele que larga bem, sai na frente e tal e qual coelho na corrida de cachorros, serve só para estimular os adversários. A outra, Juvenal, que simboliza o inesquecível jóquei rubro-negro Juvenal Machado da Silva, conhecido por preferir, nas carreiras de 2.000m ou 2.400m, areia ou grama, fazer o que é certo: correr lá atrás e só começar a tocar o violino nos potros quando apontasse o relógio do Hipódromo, uns 100 metros depois do Tivoli Park. É assim que eu vejo alguns dos times do Campeonato Brasileiro, em especial Cruzeiro e Corinthians, dois times que começaram mal, mas que, se a pressão deixar, vão embalar lá pela nona ou décima rodada.
Infelizmente para as duas torcidas, não será nesta quarta rodada ? o abaladíssimo Timão pega o Atlético Paranaense dentro da Arena da Baixada e deve se contentar se sair com o empate, e o Cruzeiro encara a zebra no Mineirão, o Goiás, um dos nossos cavalos paraguaios, por sinal.
Será também a rodada de reabilitação para Figueirense, Paysandu e Palmeiras, que devem vencer Inter, São Caetano e Paraná, respectivamente.
O Figueirense tem time para ser rebaixado, mas contará com a pressão da torcida para bater um Inter cujo técnico Muricy já vem sendo questionado. Nem mesmo a vitória sobre o Flamengo adiantou, pelo que tenho lido no Zero Hora. A volta de Fernandão deve acontecer, mas lá em Florianópolis também há muita cobrança. E de mais a mais, vencer o Flamengo não resolve mais nenhuma crise ? o time do Flamengo hoje e há alguns anos joga para perder de pouco.
Abalado por um meio-campo que tem duas peças fraquíssimas ? Júnior e Jônatas são dos jogadores mais fracos que já conheci ? e que estranhamente LIDERAM o elenco, o Flamengo hoje é apenas um time para sonhar com a manutenção na primeira divisão. Um sonho que será sacrificado, diga-se. Para realizar, o time da Gávea vai depender da ruindade de Paraná, Fortaleza, Paysandu e Figueirense, os quatro times que eu hoje acredito que devem cair. Já tirei o Juventude ? provisoriamente ? da lista.
No sábado, às 18h, tem um jogo que promete: São Paulo x Coritiba. O tricolor paulista empolgado pela goleada sobre o Corinthians encara o Coritiba de Cuca, que certamente em uma semana já terá imposto seu ritmo de treinamentos nos paranaenses.
No domingo passado, o Coritiba derrotou o Palmeiras, que fez agora a melhor contratação do ano: Marcinho, do São Caetano. Era o jogador que faltava para aquele último passe antes do gol. O Palmeiras é um exemplo clássico de time-Juvenal. Acho que vai arrancar a partir deste domingo, com uma boa vitória sobre o Paraná. Claro, escrevo antes de saber se o time se classificou para a próxima fase da Libertadores. Se sim, o alto astral toma conta do Parque Antártica. Se não, muda tudo. O jogo contra o Paraná passa a ser pressão total, e por isso mesmo sujeito a instabilidades.
Os cariocas terão seu primeiro fim de semana ruim do campeonato ? Flamengo e Vasco devem perder seus jogos, para Santos e Juventude, respectivamente. O Flamengo, perde em casa ? não há como um time com o elenco que tem o Flamengo bater um Santos alucinante com Robinho, Deivid, Léo e Ricardinho. A única esperança está na ausência de Júnior, um dos piores volantes que já vestiram a camisa do clube da Gávea. Talvez sem Júnior o Flamengo consiga empatar. Se der a lógica, dá uns 3 a 0 Santos.
O Vasco deve ser atropelado em Caxias do Sul.
Fluminense e Botafogo devem ligar o alerta ? o tricolor embalado tem um jogo complicado em Brasília, contra este estranho Brasiliense de Valdir Espinosa. O complicado do Brasiliense é que parece um time que disputa um outro campeonato, em outro ano. O torcedor vê Vampeta, Iranildo e Marcelinho com aquela camisa amarela, acha que é um amistoso da Sadef ou algo do gênero. E os caras disputam o campeonato do Judiciário, o que torna qualquer time uma incógnita ? como deve ser para um jogador estar em campo sabendo que o time pode ser excluído do campeonato?
A lógica manda cravar no Flu, mesmo fora de casa ? Diego e Arouca estão jogando cada vez mais. Para mim, Arouca foi o melhor em campo na boa vitória tricolor sobre o Cruzeiro.
Mas a lógica, bem, a lógica não manda.
Assim como a lógica mandaria apostar no Botafogo contra o Galo, mais uma vez de portões fechados na Ilha do Governador. Mas sem torcida? É campo neutro. Tá certo que o Atlético Mineiro ainda não mostrou a marca dos times de Tite, que é a marcação boa e a saída rápida para o contra-ataque (como aquele Grêmio de 2002). Mas tem jogadores perigosos, como Fábio Júnior, um bonde que de vez em quando acerta o pé, principalmente em zagas ainda em treinamento como a do Alvinegro.
Eu não me surpreenderia se houvesse apenas uma vitória carioca neste fim de semana. Só me surpreenderia se a única fosse do Flamengo.


O Fluminense perdeu Felipe e embalou. Ninguém me convence que a melhora do tricolor se deve à ausência da lentidão de Felipe, da troca por jogadores mais dinâmicos. Agora, o Botafogo perde Ramón. Anotem: Gláuber vai dar melhor ritmo ao meio-campo do Botafogo. Sei que o jogo contra o Atlético ainda não será o melhor para se observar esta evolução, mas aguardem.



Seleção da Terceira Rodada:

Rogério Ceni, São Paulo, fez um e participou do outro gol na goleada sobre o rival
Cicinho, São Paulo, encerrou a goleada sobre o Corinthians com um petardo na gaveta,
Rafael Marques, Botafogo, decidiu o jogo para os alvinegros sofrendo o ?pênalti?
Edinho, Internacional, teve o mérito de bater o jogo inteiro sem ser expulso e garantir lá atrás. Vale nota para o juiz Paulo César Oliveira também.
Juan, Fluminense, correu o tempo todo contra o Cruzeiro e ainda deixou um gol
Túlio, Botafogo, jogando cada vez melhor, dá segurança aos que chegaram para esta temporada
Arouca, Fluminense, se ficar até o fim, tem tudo para ser eleito o melhor segundo volante do campeonato.
Danilo, São Paulo, o tricolor paulista deveria agradecer muito ao Cuca por tê-lo trazido do Goiás
Ricardinho, Santos, mais uma vez liderando o meio-campo do Peixe e mostrando que esse tricampeonato é possível
Robinho, Santos, para entender porquê, é só ver o gol feito contra o Furacão. Craque é assim, a bola vem e ele põe para dentro
Luisão, São Paulo, fez dois no ex-clube e ainda se deslocou toda hora pelas pontas.

OLHO NELE DA RODADA: Alex, atacante do Fluminense. O neto de Seu Fidélis não é revelação, já jogou o campeonato passado. Mas reparem como ele entra rápido no jogo e sabe se posicionar para fazer o gol.

posted by Gustavo de Almeida at quinta-feira, maio 26, 2005


w


DOIS CLÁSSICOS E TRÊS DESESPERADOS


Um domingo de muita correria, é o que promete a terceira rodada do Campeonato Brasileiro, na opinião deste Nove Meses. São Paulo x Corinthians e Internacional x Flamengo fazem dois clássicos do futebol brasileiro em que o desespero é a marca de três dos competidores ? por incrível que pareça, AINDA não é a tônica no Flamengo, que vive um momento de ?otimismo-de-time-pequeno? por ter ido ao Sul e não ter voltado com uma goleada ? não sei se neste domingo o rubro-negro terá mais sorte do que contra o Figueirense.
Terá pela frente um time que perdeu as duas primeiras ? uma delas em casa, diante de sua torcida ? e que não terá seu principal jogador (Fernandão, autor do gol 1000 da história dos Gre-Nais). Um time que acabou de ser eliminado da Copa do Brasil pelo Paulista de Jundiaí, de forma absolutamente irregular, um roubo para entrar para a história ? não há o que justifique um bandeirinha AO LADO da trave não ver a bola entrar quase um metro, como foi o pênalti do Inter, que foi dado como se não tivesse entrado. Além de tudo isso, um Internacional que viu seu técnico passar de idolatrado e incontestável, após o tetra gaúcho, a ameaçado, em dez dias.
Enfim, um Inter mordido, que pega um Flamengo defensivo, com um técnico experiente em futebol gaúcho. Será um jogo de correria mas ao mesmo tempo de muitas faltas. O Inter é favorito, por ter jogadores que sempre foram bem em jogos contra equipes como o Flamengo atual ? vide Jorge Wagner e o próprio Diego.
E um time que joga contra outro que tem Fabiano na zaga é sempre favorito.

Em São Paulo, será o confronto de um tricolor que perdeu a primeira e empatou a segunda ? sendo que a segunda contra o Paraná Clube dentro de casa. Vive um momento de perda, a saída de Lugano, suspenso por três jogos por dar um pisão em um adversário.
Vale lembrar que Júnior Baiano pegou dois jogos por dar UM gesto para a torcida ? eu estava no estádio no momento e não vi, claro, estava comemorando o gol. Nem sei se o gesto dele foi para a torcida mesmo. Só sei que acho estranho que um pisão no adversário tenha quase o mesmo peso que um gesto visto por poucos ? ainda tive que ver o Sérgio Noronha outro dia dizer que a suspensão do Júnior Baiano é justa, mas a do Lugano foi por uma falta que ?o juiz não tinha colocado na súmula, como é que fica??
O sempre inteligente Roberto Assaf interpelou, com classe: ?Mas o gesto do Baiano também não estava na súmula?. É isso.
Voltando ao clássico, estréia o Paulo Autuori pelo lado tricolor paulista, o que dá mais motivação. Grafite continua bem, o que preocupa uma defesa onde provavelmente Marquinhos será reaproveitado, após trocar porradas com Tevez há pouco mais de dez dias. Sem um goleiro de personalidade, o Corinthians mantém Tiago, de 21 anos, no gol, enquanto implora ao União de Leiria que libere Hélton, ex-Vasco.
É certo que o Timão pega o São Paulo com uma pressão poucas vezes vista: vem de um empate e uma derrota no Brasileiro, eliminação na Copa do Brasil com suspeita de boicote de jogador na hora dos pênaltis, brigas dentro do clube e a divisão do elenco em três facções: a do Fábio Costa (agora enfraquecida), a do Tevez e a do Carlos Alberto.
Sem contar o movimento dos sem-facção.
Acredito em São Paulo e Inter como favoritos, mas um ou outro fator podem desequilibrar o jogo, ou melhor, reequilibrar os jogos. No caso do Corinthians, Tevez e Gil. No caso do Flamengo, os carrinhos do Roth.



Vasco x Botafogo ? já ia me esquecendo. Também tem sua importância, pela desigualdade no momento dos dois times, o Botafogo vivendo em lua-de-mel com o campeonato, o Vasco em dificuldades. Esta semana, Allann Delon se desligou, pois diz ter ?proposta de outro clube da série A?. Considerando que Delon não fez nada pelo Vasco, passou o Estadual na reserva e sequer desfez as malas ainda, pode-se crer que só mesmo o Flamengo que traz Jean de volta poderia contratar Allann Delon.
Só o Flamengo seria pequeno o suficiente para tal.
O Vasco se reforça com a saída de Allann Delon, claro. E, como acontece sempre, pode se recuperar em cima do Botafogo. Basta Alex Dias estar em um dia inspirado. Seria uma péssima ducha de água fria em cima deste emergente Botafogo de PC Gusmão. Mas pode acontecer ? afinal, a defesa alvinegra, apesar das boas atuações de Rafael Marques, ainda tem Scheidt um tanto irregular, principalmente no aspecto emocional. Encarar Alex Dias e Romário, duas raposas velhas do futebol brasileiro, não é fácil, se o cara não tiver sangue frio.


O jogo mais interessante do sábado para mim será este Atlético Paranaense x Santos, curiosamente pouco badalado pela mídia, apesar de ser exatamente o tira-teima que todos queriam ver no ano passado, o confronto entre os dois times que mais pontuaram no campeonato vencido pelo Peixe na rodada final ? graças à incrível amarelada do Furacão em São Januário.
Quase não se fala deste jogo, a não ser se Denis Marques vai jogar ou não ? ao que parece, a diretoria do Furacão não vai arriscar, apesar do consultor jurídico da CBF, Valed Perry, ter liberado sua escalação. Para quem não lembra, Denis foi penalizado com quatro meses de suspensão pela Fifa, além de multa de US$ 700 mil, por romper unilateralmente seu contrato com o Kwait Sporting. No ano passado, o atacante jogou o tempo todo amparado por uma liminar da Justiça Comum.
Seria jogo para lotar Morumbi no ano passado, caso não achássemos mais emocionante o formato em que ganha o time mais regular, e não aquele formato em que uma final lotada coloca duas forças frente a frente em um jogo de vida ou morte. Sim, preferimos ver times ganhando títulos tendo à frente um outro que não tem mais nada a ver com o peixe.
Aliás, mais uma vez é o Peixe que entra como favorito, contra este problemático Atlético, que está priorizando a Libertadores e ainda não escala seus principais jogadores ? isso depois de se livrar de Jádson, um dos destaques do ano passado, atualmente na Ucrânia.


Paraná x Juventude fazem o jogo de dois dos times que apontei para cair neste campeonato ? os gaúchos de Caxias parecem ser candidatíssimos a queimar minha língua. Minha esperança é Juliano ser efetivado como titular no meio-campo. O técnico do Lori Sandri vai fazer algumas mudanças, estreando o lateral Rafael, ex-Inter de Limeira. Dizem que corre muito, portanto é bom o Juventude ficar atento nas alas.


O Cruzeiro encara o Tricolor em Volta Redonda e acabou perdendo Fred, que machucou o tornozelo. Acho que o Fluminense vai seguir 100%, pois Levir vai estrear Irineu (campeão estadual pelo Ipatinga) na zaga, e não acho uma boa idéia colocar zagueiro novato contra um time veloz como o do Fluminense. Além de tudo, Lopes está confirmado no meio-campo cruzeirense ? melhora o passe, mas cai o poder de marcação. O Fluminense precisa apertar a marcação em cima de Weldon, jogador veloz e decisivo.
De resto, dá Fluminense, que pode terminar até como líder do campeonato, caso o Santos não confirme minhas expectativas e triture o Furacão.


A Suderj ? ou Sudemg ? informa: sai Pituca, entra Vampeta. É o que vai acontecer no Brasiliense no jogo deste domingo contra o embalado Galo no Mineirão. O Brasiliense ainda estréia o bonde Oséias, ex-Palmeiras, Atlético Paranaense, etc.
Dá Galo. Com Tite em ascensão dentro do grupo.

Um Palmeiras de olho na Libertadores (pega o Cerro em jogo decisivo nesta quarta-feira) enfrenta, no Couto Pereira, um Coritiba louco para se levantar e dar a volta por cima, sacudindo a poeira.
Se der certo a ?síndrome do técnico novo?, dá Coritiba, já que o Verdão não terá Juninho, machucado. E Bonamigo pode poupar alguns jogadores, pois o foco está seriamente na Libertadores. É melhor começarmos a ficar de olho no Palmeiras. Além de a classificação para a Libertadores (me parece provável) provocar uma onda de otimismo no clube, a chegada de Marcinho, ex-São Caetano, deve imprimir nova velocidade ao time. Neste sábado, ainda haverá a estréia do argentino Sergio Gioino, contratado pelo Palmeiras junto ao Universidad do Chile.
Difícil arriscar um prognóstico neste jogo: se analisarmos a atuação do Coxa na derrota para o Santos, vamos ver que os paranenses até que não estão mal assim como parece.


O jogo duro... ....de se ver desta semana será São Caetano x Fortaleza. Deveriam colocar um medidor para ver se o número de chutes na bola será maior ou menor que o número de chutes no adversário. Evitarei. Façam o mesmo. Muitos jogos bons nesta rodada.

posted by Gustavo de Almeida at quinta-feira, maio 26, 2005


w


TIMINHO É O C...

Os primeiros minutos do jogo do Santos, o campeão brasileiro atual ? diga-se de passagem ? foram sintomáticos: Estádio Couto Pereira lotado, muito barulho, festa, o gol de Márcio Egídio aos 27 minutos levando a torcida local à loucura. O começo, de tirar o fôlego. Aí vem o Ricardo Bóvio e é expulso, em uma disputa normal, em que, sim, acertou o atleta do Coritiba, mas via-se que ele tentou chutar a bola. O árbitro Luis Antonio Silva, num exagero, preferiu o cartão vermelho ? a tradicional ajudinha ao time da casa, como sempre acontece.
Só que aí a torcida paranaense, que de uns anos para cá ganhou em empáfia, resolveu gritar ?timinho? para o Santos, comemorando a expulsão.
Vejam o que fez o Coritiba desde 2002 e vejam o que fez o Santos no cenário do futebol brasileiro atual. Olhem para a escalação, e me digam quem é que tem Robinho, Ricardinho e Deivid.
Foi um castigo merecido, levar três gols em cinco minutos. A derrota do Côxa, não fez jus ao jogo, já que foi corrido para os dois lados, e os paranaenses perderam vários gols. Mas não se mexe com craque, não se provoca time bom, não se ataca campeão. Se desafia, isso sim.
Chamaram o Santos de Robinho de timinho e a resposta foi essa: três gols em cinco minutos, um deles com uma virada de jogo espetacular de Ricardinho para Paulo César, que colocou certinho na cabeça de Fabiano. Depois, o mesmo Ricardinho colocou na cabeça de Robinho.
Em um jogo de cinco gols de cabeça, venceu quem teve mais ? o Santos.


Os cariocas tiveram um início de campeonato como há muito não conseguem. Acho que desde a década de 70 não há duas rodadas iniciais sem cariocas apanhando. Destaque para o Botafogo, que com portões fechados matou o Kiarinthians de Tevez. Estava na cara que o ambiente repleto de pancadarias do Corinthians poderia pesar ? como pesou o fôlego dos alvinegros, sob o comando de PC Gusmão, um dos técnicos que já entenderam que a parte física é que decide um campeonato longo como este.
O Fluminense voou para vencer o Paysandu ? mais uma vez, o jogador subestimado Rodrigo Tiuí fez a diferença para os tricolores, correndo muito pelas pontas e infernizando a defesa do Papão. Kléber fez duas defesas decisivas e Gabriel não tremeu nos dois pênaltis.
O Flamengo de Celso Roth também começa a melhorar fisicamente ? é inegável que houve melhora ao longo da semana, caso contrário o time iria manter sua tradição no sul e não resistiria à correria do Figueirense, que teve em Bilu seu principal jogador de armação. Rogerinho, que entrou no meio do jogo, também levou muito perigo, mas no geral a zaga esteve segura. Falharam na marcação a Rodrigo, que quase marcou um golaço no segundo tempo ? tive a impressão de que os três zagueiros ficaram indecisos enquanto o atacante catarinense entrava pelo meio driblando.
Henrique não é lá essas coisas, mas é fácil saber que é melhor do que Fabiano. De mais a mais, o tal Carlos Alberto já está jogando bem pelo Flamengo, pois perdeu um gol daqueles que até o Stevie Wonder faria.
O Vasco zerou contra o Fortaleza. Empate perigoso, esse, se considerarmos que o Leão do Ceará é ao lado de Paysandu e Paraná uma das grandes babas do Campeonato Brasileiro.
Paraná? O quê? O empate contra o São Paulo no Morumbi? Não se enganem, foi mais um golpe de sorte. O tricolor paulista perdeu diversos gols no primeiro tempo, merecia os três pontos. Mas o goleiro Flávio também foi muito bem.
Entre os paranaenses, os problemas estão mesmo é com o Furacão. Sem time titular, dedicando-se à Libertadores, sem Dênis Marques, acumula duas derrotas. O Juventude, que venceu em Caxias, começa a queimar minha língua. Lembro que relacionei o Ju entre os times que cairão.

Um jogaço, o Cruzeiro 3 x 2 Internacional. Foi ótimo para a Raposa começar a ganhar confiança para uma bela arrancada. Pega agora o Fluminense, em um belíssimo confronto no Maracanã, domingo ? ou em Volta Redonda. Na verdade, as obras do Maracanã ainda não começaram, por isso até haveria chances deste clássico acontecer por lá.
Fica só entre a gente? Recebi informação de fonte muito boa que a empresa responsável pela obra do Maraca entrou em concordata no início da semana passada. Mas tudo bem, ainda bem que pouca gente me lê mesmo. Façamos segredo.
Que Cruzeiro x Fluminense, portanto, seja um jogo tão bom quanto este Cruzeiro x Inter ? ou quanto Atlético Mineiro 3 x 3 Ponte Preta. Até sábado.


Seleção da Rodada:

Kléber (Fluminense), ajudou o tricolor a voltar do Pará com vitória
Maurinho (Cruzeiro), logo de cara fez boa jogada, sofrenndo pênalti, depois fez cruzamento perfeito para Weldon fazer o segundo
Júnior Baiano (Flamengo), se não é o Baiano ali, não sei não
Fabiano Eller (Fluminense), mostrou personalidade lá na pressão de Belém
Rubens Cardoso (Atlético Mineiro), pelo seu lado foram construídos dois dos três gols do Galo


Marabá (Cruzeiro), veja o segundo gol cruzeirense, a jogada que ele faz
Túlio (Botafogo), dá um lençol lindo em Betão no primeiro pênalti
Ricardinho (Santos), mostrou que coloca a bola onde quer
Fernandão (Inter), perdeu mas jogou muito contra o Cruzeiro

Grafite (São Paulo), merecia melhor sorte pelo esforço contra o Paraná
Alex Alves (Botafogo), correu por todos os lados e foi decisivo na vitória


Olho Nele da rodada: Fabiano, do Santos. Quem é esse moleque que entrou no time para suprir a ausência de um expulso (Bóvio) e acabou metendo dois gols de cabeça em cinco minutos?

posted by Gustavo de Almeida at quinta-feira, maio 26, 2005


w


A RODADA DE GRAFITE

Clássico mesmo, só Botafogo x Corinthians, a portões fechados na Ilha do Governador, e Cruzeiro x Inter no Mineirão. A segunda rodada do Campeonato Brasileiro de 2005, portanto, é a grande rodada de Grafite, atacante do São Paulo que de um ano para cá virou estrela ? com justiça, já que é um jogador, diria, honesto. Depois de jogar bem no amistoso café-com-leite contra a Guatemala, deixando sua marca, Grafite pega um abalado Paraná Clube, no Morumbi, com o recém-contratado Paulo Autuori assistindo das tribunas. Pretendido pelo Español, Grafite é um exemplo de jogador moderno: privilegiou a parte física e exatamente por isso ganhou talento.
Não se pode dizer que Grafite seja um jogador diferenciado ou de talento. Era oportunista no Santa Cruz, foi meio apagado no Grêmio e se destacou muito no Goiás do técnico Cuca, exatamente por impor seu fôlego, massa muscular e velocidade aos zagueiros adversários. Hoje, é difícil para um zagueiro conter Grafite quando ele empurra a bola para a frente com a cabeça ou matando no peito e sai no pique em direção ao gol ou à linha de fundo.
Peso, massa e velocidade em uma só direção transformam o centroavante do São Paulo em um míssil. E é esse bombardeio que vai demolir o Paraná Clube (que joga sem Renaldo) neste sábado chuvoso, na volta por cima do tricolor paulista.


O Fluminense pega o Paysandu lá em Belém do Pará e, apesar do fator campo, na minha opinião vai se manter na frente, mesmo com a ausência de Tuta e Marcão. Os dois, diga-se, não são jogadores muito técnicos, mas fazem falta, o primeiro pelo pulmão e o segundo pela precisão. Marcão é fundamental na defesa e Tuta é rápido, sabe pegar bem os rebotes e eficiente no jogo aéreo. Mas devem ser bem substituídos ? o zagueiro Antônio Carlos pode ser improvisado na vaga de Marcão, melhorando o toque de bola, e Léo Guerra, ex-Volta Redonda e Vasco, pode estrear no lugar de Tuta, dando ainda mais velocidade a um time que definitivamente voa. O único senão de Léo Guerra é que incrivelmente começa a aparecer em alguns tablóides como símbolo sexual. Aí realmente já é demais. No meu tempo, ?Léo Guerra? era nome de inspetor de polícia ou despachante do Detran, nunca de símbolo sexual.



O Vasco tinha tudo para fazer a festa diante de sua torcida contra o Fortaleza, com este Alex Dias que surpreende a cada jogo. Romário, cansado da viagem a Guadalajara, deve atuar pelo menos um tempo. Pena que o jogo é em Volta Redonda e com portões fechados, a exemplo do que acontece com o Botafogo cá na Ilha do Governador, também por causa de punição do STJD. O zagueiro Alemão, ex-Volta Redonda, faz sua estréia no clube. Pelo menos pé-quente o cara é, por estrear contra a grande carne assada do campeonato ? o Leão era mais forte no ano em que caiu, com Vinícius fazendo muito gols, do que neste ano, graças ao ?esforço` de sua diretoria.
E, falando em Botafogo, será que o otimista Alvinegro vai aproveitar a nova porradaria envolvendo Tevez para vencer o Corinthians? Desta vez ficou mais difícil, porque Carlos Alberto, ex-Fluminense, está jogando demais, e o Alvinegro paulista está carregado de pressões da MSI para vencer logo no Brasileiro. Investimento alto, resultados imediatos. No futebol, infelizmente é assim.
O Botafogo precisa adiantar um pouco mais o Alex Alves, sem no entanto deixar ele na área ? no jogo aéreo, ele perderia para Anderson. Alex tem que jogar bem aberto, pois é veloz, driblador, e consegue cavar muitas faltas perto da área.
E César Prates já mostrou que cobrar faltas é com ele mesmo. É um jogo que pode definir muito durante a semana. Uma vitória do Botafogo trará uma boa onda de otimismo para o time do PC Gusmão e vai tumultuar geral o Parque São Jorge. Eu aposto nessa tese, mesmo a portões fechados.

Sobre Flamengo x Figueirense, só basta uma frase: descobriram que Fabiano é volante, e não zagueiro. Ah, sim, isto explica tudo.
O Figueirense é mesmo um time de sorte.



O São Caetano aposta na fórmula do meio-campo forte, pegador, com Paulo Miranda e Zé Luís (dois bondes, mas batem como gente grande) para vencer o Goiás no Serra Dourada. Acredito na vitória do Azulão contra o perigosíssimo Goiás.
Marcinho, motivado com a participação na Seleção Brasileira, ficará responsável por abastecer Fábio Pinto e Márcio Mixirica, jogador estigmatizado pelo quase-rebaixamento do Atlético Mineiro no ano passado. Um dos dois atacantes pode perder a vaga para Dimba, que não vai estrear por estar....fora de forma. Pergunta que se faz: como Dimba está fora de forma se o Campeonato Estadual, pelo qual ele jogou pelo Flamengo, acabou duas semanas (para os rubro-negros) antes do Brasileiro começar?
Pior caso é o de Túlio, que também não estréia pelo Juventude contra o Furacão e jogou uma semana antes do início do Brasileiro, na final do Volta Redonda contra o Fluminense.
Por que o jogador brasileiro, sempre que chega a um clube novo, precisa de um mês para perder 10 quilos, entrar em forma, ganhar ritmo de jogo, treinar com bola, etc? Em que lugar eles passam o tempo engordando, já que o calendário brasileiro é tão apertado?
Vide o caso de Gravesen, meia que hoje está no Real Madrid. Veio, se não me falha a memória, do Everton da Inglaterra, chegando ao clube num sábado. Na quarta-feira, jogou pelo Espanhol e foi o melhor em campo.
Provavelmente o Cláudio Pitbull só estreará pelo Flamengo no dia 22 de maio, contra o São Caetano.


Falando em Túlio: o Juventude tem tudo para complicar a vida do Furacão, que perdeu a primeira em casa para a Ponte Preta. Edinho, técnico rubro-negro, está com vários desfalques, entre eles Fernandinho e Dênis Marques (este último suspenso pela Fifa). Ainda aposto como o time de Caxias do Sul
é candidato a cair, mas desta vez vai atrapalhar a vida do Furacão. Que se continuar neste ritmo, vai sair da minha lista de times que vão disputar o título.


Tite vai trancar a porta neste sábado contra a surpreendente Ponte Preta, no Moisés Lucarelli. Vai de Ataliba, Walker e Amaral, três volantes de contenção, liberando os laterais/alas (aliás, que discussão chata esta, se o cara é lateral ou ala) para o ataque. Os laterais são George (o nome dele, ex-gremista, é George Lucas, o pai devia gostar muito de Star Wars) e Rubens Cardoso, este um bom jogador que por um problema tático ou outro, e algumas contusões, não consegue ganhar o devido destaque. Talvez seja agora. Acredito que o Galo vença a Ponte com boa participação de Rubens ali pelo lado esquerdo ? aliás, se cansou de enfrentar a Macaca em seu estádio, quando tentava se firmar no rebaixado Guarani. Hoje, com Tite e os três volantes segurando tudo, deve ficar mais fácil para ele.
Mesmo com três volantes, é melhor que os Galóticos fiquem de olho nos contra-ataques puxados por Harison (ex-companheiro de Rubens no Guarani), Roger e Cahê. Se encaixar o golpe, é nocaute na hora.


Paulo Bonamigo disse que dentro do Parque Antártica exige vitórias do Palmeiras, que pega o Brasiliense no sábado à tarde em um jogo mais do que complicado. Se olharmos a pré-escalação do Palmeiras (Marcos, André Cunha, Glauber, Nen e Lúcio; Marcinho, Roger, Corrêa e Juninho Paulista, Osmar e Washington), vamos notar que esse time está mais para o Palmeiras de Darinta do que o Palmeiras de Rivaldo. Tirando Marcos (pretendido por Passarella para o Corinthians) e Juninho Paulista, nenhum jogador de grife. Os dois, porém, já não fazem verão. Magrão, quem diria, virou desfalque grave, depois de quebrar a cara ? literalmente ? na Seleção, e só vai voltar daqui a um mês e meio. Estão apostando agora neste Washington que veio da Lusa (e já esquentou banco no Vasco e foi titular no Americano), e num tal Gioino, um argentino de 32 anos que também vai estrear ?quando entrar em forma? ? era do Universidad do Chile ou Católica, não lembro qual agora. Enfim, vive um drama o Palmeiras.
Acho que perder para o Brasiliense dentro de casa é mais dramático ainda. Vale a zebra?


O time do Levir vai pegar o Internacional, que mais do que nunca precisa se reabilitar da paulada que tomou dentro de casa do Botafogo. A soberba e o excesso de confiança do Colorado, tetracampeão estadual, recém-vencedor de jogo pela Copa do Brasil, com estádio lotado, etc, foi tudo o que o Botafogo precisou. Mas a derrota também ajudou o Inter a colocar os pés no chão? no Beira-Rio, já se falava em emprestar Souza, autor dos dois gols do título gaúcho, ex-Vasco, para o Goiás.
Não vi nada de mais no time do Levir, a não ser muita violência e, por incrível que pareça, reclamações contra a arbitragem no jogo contra o Flamengo. Levir deveria agradecer de joelhos ao sr. Carlos Eugênio Simon por não ter expulsado ninguém.
Estou acreditando que o Inter pode vencer fora de casa e afundar o Cruzeiro na crise. O ambiente no clube é normal, apesar da perda do título estadual para a filial Ipatinga. Mas é daquelas normalidades de cego à beira do abismo ? só percebe que estava a perigo depois que cai.

O sinal amarelo da rodada vai para o campeão Santos: pega o Coritiba no Couto Pereira, em um jogo difícil por causa da situação do adversário, que vem numa curva ascendente desde a perda do estadual para o Atlético Paranaense. O Côxa evoluiu fisicamente, por incrível que pareça, e pelo que tenho lido nos jornais paranaenses, pode ser um adversário duríssimo para o Santos.
É claro, eu sei: bastam Ricardinho e Robinho acertarem uma tabela que tudo se resolve. Mas é jogo propenso a zebra.


À leitora que, com razão, reclama de eu fazer uma seleção da rodada sem ver todos os 11 jogos: não, eu não vi os jogos.
Mas o Toque de Craque é a opinião de quem ACHA que sabe. Os leitores que acompanham o site devem ter boa vontade e curtir o trabalho com espírito de amadorismo que é feito aqui. Infelizmente, creio que a leitora Tatiana não entendeu o espírito da coisa.
Continuarei, portanto, a fazer a seleção dos melhores da rodada. Sou contra a correção política bem apontada pelo leitor João Carlos Leal aí no sistema de comments (embora não aprove o tom agressivo com que ele defendeu este NOVE MESES), acho que futebol é isso, é se entusiasmar com um lance isolado do Robinho em uma partida em que ele jogou mal mas fez o gol decisivo, é se encantar com um drible só, e eleger sim, uma seleção da rodada com todo passionalismo e encanto. O Toque de Craque é crônica esportiva que mistura entusiamo, tentativa de isenção, paixão por futebol e troca de idéias.
O resto é Indifolha. Caso a leitora prefira, é só assinar o UOL.


E viva o Romário. Não por ter ofendido Zico, não por ter batido em torcedor nas Laranjeiras, não por ter ido à Festa da Uva em 1999, coisas que mancharam sua biografia quando jogador do Flamengo e do Fluminense.
Mas por sua maravilhosa camisa, ?Eu tenho uma filha down que é uma princesinha?. Nota 10 pro cara. A filha é uma princesa e ele foi rei pelo menos neste momento.

posted by Gustavo de Almeida at quinta-feira, maio 26, 2005


w


VELOCIDADE FAZ A DIFERENÇA
Em vez de assistir a Vasco 2 x 2 Brasiliense, jogo em que fomos brindados com dois golaços ? um de Alex Dias e outro do ilustre Tiano, do Brasiliense ? fui cumprir meu papel de sujeito comprometido e levei minha senhora ao clássico cinema da noite de domingo. A exemplo de sexta-feira, quando escolhi o maçante ?A Intérprete?, de Sidney Pollack, com Nicole Kidman (nem mesmo a louraça belzebu evitou que eu adormecesse completamente com 20 minutos de película), novamente errei na programação do filme a ser visto: escolhi ?A vida é um milagre?, de Emir Kusturica, chatíssimo filme de quase três horas em que o roteirista tenta primeiro uma espécie de Amarcord pré-guerras balcânicas. Depois, sem saber como terminar o filme, cria uma síndrome de Estocolmo com o amor entre refém e captor como pano de fundo. O final é ridículo. Mas, enfim, não é sobre cinema que trata este Nove Meses.
Mas em ?A vida é um milagre? encontrei a explicação para a maioria dos resultados da primeira rodada do Campeonato Brasileiro: velocidade. O filme tem como protagonista o engenheiro Luka, cujo filho Milos tenta jogar de qualquer maneira no Partisan, ao lado do Estrela Vermelha, o time mais tradicional de Belgrado. Em dado momento, Milos dispara: ?Você pode ser o que for, mas se tiver velocidade, faz a diferença?. O pai discorda, diz que velocidade não é nada sem sentimento. Está certo.
Mas a recíproca é mais verdadeira ainda, pelo menos no futebol.
E é velocidade que sobra a este Fluminense que para mim é o destaque desta primeira rodada. Vi poucos momentos do jogo, mas ficou a mesma impressão que na final do campeonato carioca: Rodrigo Tiuí entra no ataque e não tem defesa cansada que agüente. O Fluminense, insisto, não tem um técnico de primeira linha, como Leão ou Vanderlei. Mas o pulmão dos garotos e principalmente dos dois laterais vai tornar o tricolor carioca um time muito perigoso. Em mais quatro rodadas, eu aposto como o Fluminense se tornará, ao lado do Santos, o time a ser batido.
A registrar: o ridículo pisão do zagueiro Lugano no atacante Leandro. Pisar em sujeito deitado. É esta a valentia do zagueiro?


Velocidade também sobrou ao Botafogo de Paulo César Gusmão. Previ aqui no Nove Meses que o Alvinegro faria um campeonato razoável, sem sofrimento, mas que não venceria o Inter. Errei. O time voou, o tal Joílson do Volta Redonda joga uma barbaridade ? já o Oziel é fraco.
Um registro do jogo ? com justíssima vitória do Botafogo ? deve ser feito, e que ninguém deixe de lembrar: o lance inacreditável em que Vinícius, do Internacional, dá um carrinho absolutamente criminoso, por trás, em Alex Alves, recebendo do sr.Rodrigo Cintra apenas o cartão amarelo.
Quem viu o lance, me responde: se fosse um jogador do Botafogo fazendo aquilo seria ou não expulso?

O Flamengo parece que começa a pensar em não ser rebaixado ? ao contrário do que disse o presidente em exercício, Arthur Rocha (?O Flamengo só entra para disputar título?), não há chance de levar o título. Mas com muito treino, o time pode não passar vergonha. Saíram Ricardo Lopes, Márcio Guerreiro, Adrianinho e Marcos Denner. Precisa reforço?
Está certo que no sábado o Cruzeiro pareceu morto, a não ser por umas arrancadas de Weldon e as jogadas constantes de Fred. De resto, foi só violência alucinada de Marabá e Maldonado. Como de praxe, nenhum expulso. Já o Flamengo, todo mundo acha normal jogador levar o vermelho na primeira falta aos cinco de jogo.

O Santos seguiu seu caminho em direção ao tricampeonato ? para mim, mostrou que continua com o time arrumado, e com uma dupla de ataque que dispensa comentários. Agora, vi o videotape de Santos 4 x 1 Paysandu, e acrescento: como está jogando o lateral-esquerdo Léo. Não sei se levaria para a Seleção, mas em termos de clube, é o melhor do Brasil disparado. Resolveu o jogo para o Santos no domingo. Quanto ao Papão da Curuzu, pagou pelo azar na hora da tabela. Estrear contra o Santos é sacanagem.


Eu continuo mantendo meu palpite de rebaixamento para o Juventude, apesar do Corinthians ter tropeçado neles. O time gaúcho ainda tem Doni como titular agora, em vez do ex-santista Júlio Sérgio. Bobeira. Doni é um equívoco. Já houve tempo em que alguns jornalistas chegavam a dizer que ele e Júlio César se equivaliam. Sem comentários.

Seleção da Rodada:

Jefferson (Botafogo), duas defesas importantes.
Gabriel (Fluminense), veloz e puxador de ataques
Júnior Baiano (Flamengo), salvou o time da derrota e ainda carregou Fabiano nas costas
Rafael Marques (Botafogo), mostrou raça, disposição e não amarelou para o Inter
Léo (Santos), o melhor lateral do Brasil

Túlio (Botafogo), fez o segundo gol da vitória e ainda marcou demais
Jorge Wagner (Inter), carregou o Colorado nas costas, pena que perderam
Arouca (Fluminense), joga cada vez mais. É jogador certo para aquele período de pós-Copa da Seleção Brasileira
Ricardinho (Santos), organizou de novo o Peixe

Alex Dias (Vasco), só o gol dele contra o Brasiliense já valeu o ingresso
Obina (Flamengo), mesmo fora de forma é melhor que todos os atacantes que passaram pelo Flamengo desde que Liédson saiu.



Olho Nele da Rodada: Cahê, da Ponte Preta. Não emplacou no Palmeiras, foi banco. Mas vai correr muito.

posted by Gustavo de Almeida at quinta-feira, maio 26, 2005


w


Um belo feriado prolongado
O Palmeiras pensa em Gamarra e traz o técnico Bonamigo, o Inter traz Perdigão e Edmilson do XV de Campo Bom, o Coritiba promete reforços, o Juventude, que para mim é candidato ao rebaixamento, contrata o zagueiro Antônio Carlos. A semana que precedeu a primeira rodada foi agitada, com o sabor especial de ser feriado prolongado, ou seja, a tabela ajudou o torcedor a se concentrar para o início do Campeonato Brasileiro de 2005. Os trabalhos serão abertos por Paraná x Goiás, em Curitiba, e Atlético Mineiro x Figueirense, no Mineirão. O time da casa leva grande vantagem nos dois confrontos. O Paraná, porque, insisto, ainda acho que o Goiás ainda não se organizou. Não que o Paraná seja um primor de organização, mas nestes confrontos o fator campo costuma ser o fiel da balança. Em BH, o Figueirense parece ser um mero coadjuvante da grande festa em que deve se transformar a estréia dos tais ?Galóticos?, o time de Tite. No meio do ano, devem ganhar o reforço de Marques, mas por enquanto vão de Rodrigo Fabri e Euller como jogadores para puxar o ataque.
Deve dar Paraná e Galo, sendo que este último com alguma dificuldade.
Às 18h, tem São Caetano x Palmeiras, no Anacleto Campanella. Dois grandes fatores de motivação para o Verdão: a estréia de Paulo Bonamigo no comando técnico e a primeira partida de Juninho Paulista com a camisa do Palmeiras. Mas possivelmente dá São Caetano, time que está mais encorpado no momento. O Palmeiras deve melhorar ao longo do campeonato, se vierem reforços ? a verdade é que o time parece ter pouca gente para disputar uma competição tão longa. Acho que o Azulão de Estevam Soares está mais propenso a faturar esta.
Ao mesmo tempo, Flamengo x Cruzeiro estréiam no Maracanã. Andrade dirige o time, e já barrou mudou gente, barrando o horroroso Alessandro e colocando Fabiano Monteiro em seu lugar. Ricardo Lopes, trazido por recomendação de Cuca, já encheu a paciência da torcida e dará lugar ao ex-junior Fábio. Renato volta ao time. É suficiente? Não.
A manutenção de Fabiano como titular da equipe será o enterro da equipe rubro-negra. Ainda que o potencial ofensivo melhor 80% com a saída de Alessandro, está mais para a equipe de Minas, que tem em Fred um verdadeiro aríete. Fred é o típico atacante que Fabiano não consegue marcar: dá um passo a mais na hora do passe e do cruzamento, de modo a que o zagueiro só perceba depois que a bola já chegou. Aí, é saco.
No domingo, o jogo que passará na TV aqui no Rio é Internacional x Botafogo. Se fosse o gordíssimo time de Bonamigo do Campeonato Carioca, eu apostaria no Inter de olhos fechados. Mas abro os olhos. E continuo apostando no Inter. O Colorado conseguiu montar um meio-campo eficiente, com a dupla Tinga e Jorge Wagner. Me parece o segredo do chatíssimo futebol moderno: dois jogadores medianos com muito pulmão no meio-campo e um ou dois jogadores leves lá na frente. No caso do Inter, têm o Diego, e ainda o Fernandão ali de número 1 do Zagallo.
O Botafogo é outro que deve melhorar muito ao longo da competição. Tem a seu favor o fato de ter sido logo eliminado do estadual, portanto teve quase um mês inteiro para treinar ? jogou contra o Paulista pela Copa do Brasil e foi eliminado. Com esse bom tempo de treino, dá para o Botafogo sonhar. Mas não na estréia, que é muito difícil.
O Fortaleza recebe o Coritiba do técnico Antonio Lopes no Castelão (ou será no PV?), em jogo meio ressacado, já que comemoram o título conquistado no ritmo do baixinho Clodoaldo. O Coritiba tem perdido jogadores importantes, mas soube manter o técnico. O delegado Antonio Lopes parece estar tão em casa quanto nos tempos de Vasco. E pensar que ele é pentacampeão mundial pela Seleção Brasileira de 2002. Bom, acho que o empate é um ótimo prognóstico para este jogo amarrado.
Em Curitiba, enquanto isso, o Furacão deve sofrer para ganhar da Ponte, mas acho que ganha. Surgiu agora um novo problema: o atacante Dênis Marques tomou um gancho da Fifa por ter abandonado seu time no Kuwait para voltar ao Brasil. Se o clube não conseguir recorrer, pode esquecer. Em compensação, eles têm o Jorge Henrique, ex-Náutico, para tapar buraco. E Dagoberto está voltando aos poucos.
A goleada vai baixar mesmo é no Pacaembu: o Juventude ? que, como já disse, é um dos que aposto para cair ? de Ivo Wortmann talvez estréie o zagueiro Antonio Carlos (ex-Seleção, Santos, Palmeiras...) logo contra o esquadrão corintiano. Tévez, Roger e Carlos Alberto agradecem a tabela.
Perto dali, na Baixada Santista, deve acontecer fenômeno semelhante, pois o Santos joga contra o Paysandu. Prevejo placar de basquete.
Em Brasília, Dário Lourenço estréia como técnico do Vasco contra um time que é preto e amarelo, como seu Volta Redonda. O Brasiliense, porém, é perigoso e vem armado por Espinosa para jogar em função de Iranildo. Sim, mesmo com as brigas ensaiadas por Marcelinho Carioca, o baixinho ex-Flamengo é o jogador que Espinosa não dispensa hoje em dia. Chegou a telefonar para um conhecido ex-dirigente rubro-negro há três semanas, comentando o quanto Iranildo tem sido importante. Contra o Vasco de Dário, porém, a promessa é de jogo duro, de muita marcação. Um empate é um bom palpite na loteria.
Já no melhor jogo da rodada, Fluminense x São Paulo, prefira o triplo. Mas se quiser economizar dinheiro, crave no tricolor carioca. Será o confronto de duas escolas, mas o time do Rio parece estar mais embalado, jogando com muito mais alegria. É a chance de conferirmos o quanto a saída de Leão pode ter afetado o São Paulo ? apesar do tricolor paulista ter se classificado para a próxima fase da Libertadores durante a semana, vai estar encarando um time empolgado e muito veloz. A velocidade do Fluminense será o que decidirá esta partida.
Até semana que vem.

posted by Gustavo de Almeida at quinta-feira, maio 26, 2005


w


Um pequeno lamento rubro-negro São 36 jogadores e nenhuma saudade. Por enquanto. O maior medo que eu tenho, é que neste Brasileirão sem cuca que o Flamengo vai fazer (sem cérebro, depois da saída do técnico Cuca), eu sinta falta de alguns dos nomes abaixo. A possibilidade não é pequena. Uma olhada rápida já descobre alguns absurdos: nosso goleiro é pior que o Clemer, Iranildo teria vaga no nosso meio-campo (pelo menos no lugar do mascaradíssimo Júnior) e o horroroso Zé do Gol marcou mais do que Dimba e Alessandro (nosso atacante, por enquanto) juntos. E é com esta reflexão que eu reinauguro o Nove Meses, que em 2003 foi um blog onde discutimos futebol do Brasil todo. Como este é um ano especial, onde provavelmente nós torcedores do Flamengo vamos amargar a tão esperada queda para a segunda divisão, fica aí a mensagem: por que o passado é sempre melhor?Este levantamento foi feito com base em agências de notícias e guias do campeonato brasileiro. Curtam à vontade. Deixei de fora jogadores que REALMENTE deixam saudade, como Juninho Paulista, que assinou com o Palmeiras, e Paulo César, que jogou no Flamengo e no Fluminense e hoje está bem no Santos. Goleiros ? Clemer (Internacional), Emerson (Bahia) Laterais ? Alessandro (sim, o de 2002, no Grêmio), Dida (Brasiliense), Athirson (Cruzeiro), Valentim (Juventude), Luciano Baiano (Ponte Preta), Bruno Carvalho (Náutico) Zagueiros ? André Dias (o André Paraná, hoje no Goiás) Meio-campo ? Iranildo (Brasiliense), Hugo (Corinthians), Marquinhos (Coritiba ? aquele loirinho mala que jogou no Paraná), Lopes (Cruzeiro), Fábio Baiano (Santos), Igor (aquele baixinho, no Fortaleza), Nélio (aquele loirinho que seria o novo camisa 10 do Flamengo ? tá no banco do Fortaleza), Juliano (Juventude), Messias (Paraná Clube), Fabinho (de 2003, no Santos), Paulo Miranda (São Caetano), Wendell (Ceará), Marcelinho (Brasiliense), Jamir (CRB), Douglas Silva (Grêmio), William (Náutico ? muita gente não vai lembrar deste perna-de-pau de 2002), Cleisson (Sport), Lúcio Bala (Sport) Atacantes ? Marques (Atlético Mineiro), Aloisio Chulapa (Atlético Paranaense), Jackson (Brasiliense), Igor (Brasiliense, jogou no Flamengo em 2000), Jean (Cruzeiro), Negreiros (Coritiba), Zé do Gol (Juventude), Dill (Bahia), Vinícius (ex-Fortaleza, agora no Sport)

posted by Gustavo de Almeida at quinta-feira, maio 26, 2005


w


De volta ao Nove Meses
Em 2003, criei o blog Nove Meses ? o título fazia menção à duração do campeonato, o tempo de gestação de um campeão. Pessoas de todos os times gostaram da idéia, o sistema de comments era uma festa com torcedores de clubes de todo o Brasil defendendo seus pontos de vista. Aliás, o grande segredo dos blogs, para mim, está nos comments, por isso que eu espero que a nova coluna NOVE MESES, desta vez aqui no TOQUE DE CRAQUE, possa ter logo este sistema. De preferência, em cada post. Mas vamos logo dividir os competidores em categorias? Vamos lá.
Candidatos ao título: São Paulo, Corinthians, Atlético-PR e Santos
São Paulo ? o técnico Leão saiu na noite de segunda-feira para ir treinar um clube no Japão (como escreve na terça, ainda não sei qual é o clube), o que pode perturbar bastante o ambiente no São Paulo. Mesmo assim, acredito que o clube permanece entre os favoritos. Ensaiou bem para o Brasileiro, disputando e ganhando um campeonato paulista de pontos corridos. Tem uma espinha dorsal de respeito: Ceni, Cicinho, Lugano, Danilo e Grafite, fora o experiente Luizão no ataque, que reveza bem com o Diego Tardelli. Não sei quantos destes saem antes ou no meio do ano, mas se por um milagre o presidente Portugal Gouvêia conseguir manter até o mesmo elenco até o fim, acho que são favoritíssimos.
Corinthians ? Vamos continuar analisando o fenômeno Corinthians dentro de campo. Vamos esquecer que, hora dessas, podem pegar o Tévez e meter em um time da segunda divisão inglesa, se rolar uma grana boa para a MSI. Dentro de campo, o Corinthians tem Carlos Alberto jogando muito, Roger chutando bem entre uma pipocada e outra, uma base de ex-juniores excelente (esse lateral Coelho é muito bom), um craque que está voltando à boa fase (Gil) e mais o Gustavo Nery se recuperando da ausência nos gramados. A defesa ainda não é confiável, na minha opinião. Sebá Dominguez ainda precisa se entrosar mais com Anderson (que nunca achei grande coisa) e Marinho (sim, aquele, daquele gol histórico do Romário pelo Fluminense contra a Ponte Preta). Mas é impossível não colocar o Corinthians entre os favoritos para o título.
Atlético Paranaense ? O Furacão, apesar de mais fraco que no ano passado, segue favorito, porque, a exemplo do Corinthians, tem o que buscar na divisão de base e assim ficar altamente competitivo no meio do campeonato. Trouxeram no início do ano um bom atacante, Jorge Henrique, do Náutico (que fazia dupla com Kuki), mantiveram o ótimo goleiro Diego e, principalmente, se livraram de Fabiano, empurrando o horroroso zagueiro para os otários da Gávea. Têm também lá na frente o bom atacante Dênis Marques e ainda Lima, que era do Coritiba e que não amarelou na disputa de pênaltis contra o ex-clube. Pontos fracos: trouxeram o panamenho Baloy, do rebaixado Grêmio, e contrataram Aloisio Chulapa. Neste eu não levo a menor fé.
Santos ? a exemplo de Corinthians e Furacão, o Santos é outro que tem de onde tirar gente boa para reposição ao longo do campeonato. Podem reparar que tem sempre um garoto recém-chegado que dá conta. Dos quatro favoritos, porém, acho que foi o que mais se enfraqueceu e foi contra essa política vitoriosa. Se repararem bem, o Santos dos ex-juniores Renato, Elano, Diego, Robinho, Alex, deu lugar a um time mais ?importado?, com gente rodada como Evando (atacante que surgiu no Vitória há mais de 10 anos), Tcheco, Bóvio, Paulo César e Ricardinho. A linha tênue entre o Santos mais ou menos favorito e o Santos totalmente favorito se chama Robinho. Se for confirmado ele realmente só sair da Vila Belmiro após a Copa da Alemanha, sai da frente. Dá Peixe.


Vão brigar bem por uma vaga na Libertadores com os quatro aí de cima: (Atlético Mineiro, Cruzeiro, Fluminense, Palmeiras e Internacional)
Atlético Mineiro ? Esse eu só não coloquei aí na lista de cima por um motivo: excesso de veteranos. Euller tem 34 anos, Marques tem 32, assim como Amaral e Danrlei. É verdade, não são tantos, mas são jogadores com personalidade, influentes, que podem encher o saco do resto do time ? no resto, tem um Rodrigo Fabri que é uma incógnita: tanto pode ser o bom jogador de 1996/2001/2002 quando aquele sujeito apagado que vestiu a camisa do Flamengo. O bom meio-campo Renato continua nas Alterosas, e sob o comando do técnico Tite, pode deslanchar de vez. Agora, quero ver quem vai ser escalado no ataque: Marques, Euller, Fábio Júnior, Enrico....Na minha opinião, uma vaga teria que ser do Enrico.
Cruzeiro ? Não se enganem com o fato de o Cruzeiro ter perdido para o Ipatinga na final do Campeonato Mineiro: o técnico Levice (ops, Levir) Culpi sabe recuperar um time, sabe trazer jogadores da base e acima de tudo é organizado. Recomendo ao Levir, porém, esquecer que o atacante Jean existe. Atacante que não sabe chutar, recomenda a lógica, não existe. A Raposa ainda vai sofrer muito com a Avenida Athirson, até Levir decidir se ele vai pro banco ou pro meio-campo. Só que lá tem três jogadores de força e jeito: Marabá, ex-Goiás, Fábio Santos, ex-São Caetano e Jardel, formado por lá. Problemas mesmo, estão, como já escrevi, no ataque: só têm o Fred de bom (e muito bom). Os outros? Jean, Weldon e...Kelly. Isso, aquele mesmo que era do Bragantino e depois encheu minha paciência no Flamengo.
Fluminense ? Acho o Abel fraco como técnico, mas vejo o Fluminense com chances na Libertadores por causa da ausência de Felipe, o anti-competição. Não há time menos competitivo do que aquele que pára, olha, cisca, dribla, recua, volta, pára, olha de novo, tenta o passe, erra, recupera, volta, olha, perde a bola e abre os braços para reclamar. Assim é Felipe. Craque? Sim, mas para um Harlem Globe-Trotters. Para disputar um campeonato, vale muito mais um meio-campo (incluindo alas) com Gabriel, Marcão, Diego, Arouca e Juan. O Fluminense tem tudo para ser o carioca salvador neste Brasileiro.
Palmeiras ? Se Pedrinho superar o azar e não se contundir mais, vai fazer com Juninho Paulista um belo meio-campo. Os dois armando, com Magrão e Correia na marcação, podem deixar o Palmeiras forte, independente dos problemas na defesa (não confio no zagueiro Nen) e no ataque (Osmar ainda não disse a que veio, Warley é um nômade e Diego Souza é inconstante). E nem me venham dizer que qualquer coisa Adriano Chuva resolve.
Internacional ? Eu tenho visto o Inter melhorar desde o ano passado. Muricy saiu, foi para o São Caetano, deu o título inédito de campeão paulista a eles, voltou para o Inter, fez um Brasileiro razoável, e agora faturou o tetra gaúcho no sufoco, é verdade, mas chegou lá. O Internacional me parece o clube da paciência, onde o investimento nos jogadores é gradativo, a base é mais mantida. Tudo bem, perderam Daniel Carvalho, mas já tem dois anos que ouvimos falar de Diego, Élder Granja e Chiquinho. E agora têm um jogador que faz diferença, que é o Rafael Sobis. A dupla de meio-campo formada por Tinga e Jorge Wagner é daquelas que não brilha, mas carrega cinco pianos. E é isso que é o Inter, um carregamento de pianos do qual volta e meia se ouve algum som harmonioso. É um time de raça e com alguns talentos que são muito bem cuidados por clube e torcida. O Inter vai disputar espaço ali na Libertadores, mas se os quatro favoritos bobearem, pode dar mais trabalho ainda.

Vão comemorar se conseguirem vaga na Sul-Americana: (Botafogo, Brasiliense, Coritiba, Vasco, São Caetano e Ponte Preta)
Botafogo ? Com a contratação de Gláuber, bom jogador ? na minha opinião, o melhor ? do Volta Redonda, o Botafogo pode acertar seu meio-campo e sonhar com um campeonato brasileiro sem sustos. O time ainda precisa de um xerife na zaga, pois Scheidt é muito inconstante. Muitos erros do Estadual estão sendo corrigidos aos poucos pelo técnico Paulo César Gusmão, e o Botafogo pode se transformar, devagarinho, em uma boa surpresa do campeonato. Basta não escalar Guilherme, manter o veloz Ricardinho no ataque ao lado de Alex Alves e colocar Ramón mais recuado, deixando a tarefa de número 1 para o recém-chegado Gláuber. César Prates ainda pode ir para o meio-campo dar mais pulmão ao time. Olho nos alvinegros. Não vão sofrer este ano. Com um campeonato nivelado por baixo, a diferença está no preparo físico. O Fogão tem César Prates e PC Gusmão, um com bom preparo e o outro com consciência da importância do mesmo.
Brasiliense ? Um time que tem Deda e Dida deveria estar na lista para disputar rebaixamento. Mas prefiro, por enquanto, incluí-los nesta lista, por causa de Marcelinho, Iranildo e Alex Oliveira, que podem ajudar o time a ganhar algumas partidas (e perder outras). Eles não têm ataque (Agnaldo e Jackson? Igor?), mas têm dinheiro.
Coritiba ? Os coxas têm a favor o fato de Antonio Lopes estar partindo para seu segundo ano à frente da equipe. Está mais provado que time que mantém o técnico não cai ? e quem troca muito acaba descendo mesmo. O Coritiba não tem time para querer muita coisa, mas conseguirá ficar no bloco intermediário. O nível desceu muito: saíram Tcheco, Marcel e Edu Salles, entraram Marquinhos (ex-Flamengo e Paraná Clube), Laércio e Marciano, este último um atacante que eles foram buscar lá no Nordeste, acho que em um time do Piauí. O fator campo, porém, pode ajudar o Coritiba a se manter ali na meiúca.
Vasco ? Todos acreditam que com Joel Santana e Romário lá na frente chinelando e andando, o Vasco disputa rebaixamento. Eu acho que não. Em primeiro lugar, porque o time de São Januário costuma formar bons goleiros, e isso pode ser decisivo em um campeonato de pontos corridos. Afinal, é o campeonato de não levar gols. Vitória por 1 a 0 e 0 a 0, tá valendo. Além disso, eles sempre tiram uma carta da manga ? pode reparar que em todo campeonato aparece um bom jogador no Vasco, seja contratado de time menor, seja ex-junior. Foi assim com Moraes, hoje no Atlético-PR, foi assim com Robson Luiz, e sabe-se lá com quem vai ser desta vez. O time da Colina ainda tem um Alex Dias jogando certinho ? um milagre cruzmaltino, porque o vi em ação em 2004, pelo Goiás, contra o Fluminense no Maracanã, e achei muito fraco. De repente, chegou e fez um Estadual de encher os olhos.
São Caetano ? o São Caetano, definitivamente, já não é mais aquele. Mas de certa forma, curiosamente, continua o mesmo. Continua contratando às pencas, o que lhe dá aquela cara de time-mercenário. Continua vendendo horrores, o que explica, por exemplo, Euller no Galo, Fábio Santos no Cruzeiro. Mas continua com Sílvio Luiz no gol, Gustavo na zaga, Triguinho na lateral, Marcinho como meia ofensivo e Anaílson indo e voltando do banco com a desenvoltura de um garçom conhecido dos clientes. O Azulão aposta em Estevam Soares para dar uma cara ao time que perdeu muito de sua identidade ? se é que algum dia teve alguma. Me parece um time capaz de tudo, menos de cair para a segunda divisão. Por isso, aposto em um desempenho mediano desta vez.
Ponte Preta ? Podem se preparar porque a Macaca vai ser um dos times mais chatos do campeonato, senão o mais. O goleiro Lauro, aquele que fez gol no Flamengo aos 51 do segundo tempo em 2003, foi mantido na equipe, pois tem personalidade. O técnico Oswaldo Alvarez, o Vadão, está com um esquema que, pelo que me parece, usa apenas um atacante fixo na área ? que pode ser Roger ou Romualdo, este último um jogador veloz, driblador, que jogou no Gama de 2002 e andou chamando a atenção. Galeano, o próprio, ex-Palmeiras, virou zagueiro, ou melhor, líbero. Imaginem o que deve ser Galeano de líbero. Os jogos da Ponte Preta poderão ser vendidos no pacote dos Pride e dos Ultimate Fighting. Por isso, aposto na Ponte para levar poucos gols, bater muito dentro de casa com a complacência da péssima arbitragem que impera nos campos campineiros e acima de tudo jogar em cima de Harrison, atacante estilo Fernandão (atacante que sai da área) que veio do rebaixado rival Guarani. É possível até que a Ponte seja uns dos cavalos paraguaios da competição.

Vão sofrer muito e agradecer de joelhos por não terem caído: (Figueirense, Paysandu e Flamengo)
Figueirense ? Em primeiro lugar, pergunto aos amigos qual foi a final do Campeonato Catarinense deste ano. Heim? Foi isso mesmo? O Criciúma, da segunda divisão do Brasileiro, disputou com o Atlético de Ibirama? E o Figueirense? O Figueirense dançou, perdendo a chance de ganhar um tetracampeonato, como o Inter no Rio Grande e o Vitória na Bahia. O time continua com o bom mas imprevisível goleiro Édson Bastos, tem um técnico motivado, o Marco Aurélio, que já treinou Palmeiras e Cruzeiro, e experiência na zaga com Cléber, ex-Palmeiras (que eu sempre classifiquei como versão cyberdemon do Júnior Baiano ? essa é para quem joga Doom). Agora, dá uma olhadinha no ataque: Creedence Clearwater e Wágner. Dois jogadores razoáveis, mas se jogarem separados. Precisa ter um bom de verdade do lado. Ambos foram a dupla do Guarani em 2003, que bateu na trave naquele ano ? só entrou em 2004 para a Segundona. O Figueira ainda perdeu para 2005 o lateral André Santos, que fez um bom campeonato brasileiro de 2004, e o meia-lateral César Prates. Parece um pouco demais. Vão, portanto, sofrer muito.
Paysandu ? Este é outro dos meus candidatos à queda. Não vou me iludir novamente com esse time que ainda nem tem técnico efetivado ? ainda não sei, mas até 10 dias atrás, o técnico era um tal de Sinomar, porque o Roberto Cavalo, ex-meia do Vitória, tinha sido demitido. Já começa mal. Aí você olha lá para a lateral e está o Renatinho, ex-Botafogo. Olha para o ataque, tem Robgol (que já não convence ninguém e só deve fazer gols mesmo no Flamengo) e Zé Augusto, o gordíssimo Zé Augusto, na flor de seus 31 anos. Menos mal que Jóbson e Lecheva continuam ? o primeiro, é bom ficar de olho, andou sondado por alguns times do Rio. Indo ou ficando Jóbson, o Papão da Curuzu vai papar mesmo é um belo de um nabo este ano.
Flamengo ? Acho mais ético não esconder dos amigos que sou torcedor do Flamengo, e prometer tentar evitar ao máximo que isto afete meu julgamento de outras equipes. Quanto ao time da Gávea, se Cuca não for RAPIDAMENTE reintegrado ao comando do time, já prevejo minhas tardes de domingo. Luiz Roberto narrando algum jogo em estádio pequeno e lotado, torcida de fora lotando, eu de TV ligada. Começa o jogo e em dois minutos, aquele grito de gol do Luiz Roberto que parece narração de um uruguaio para o gol do Ghiggia. ?Gooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooolllll?, grita o fanático antiflamenguista. Aí vem um nome tipo Edu Salles, ou Lecheva ou RobGol ou sei lá o quê. Closes de jogadores que correram em direção à câmera, barulho das vozes felizes, tomada do técnico adversário de braços abertos comemorando. Reinicia o jogo.
Vou à geladeira pegar uma cerveja e ouço aquela voz do repórter de campo, após uma suave elevação no burburinho da torcida: ?Tá expulso, heim!?. Volto correndo com a latinha na mão e ouço a felicidade em pessoa do Luiz Roberto: ?Tá expulso Júnior Baiano. Correta a expulsão, Marsiglia??. O ex-juiz diz que foi correta porque o zagueiro foi no corpo, etc. Dez minutos depois, gooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooolll.
Comentários de Luiz Roberto são de que o Flamengo está perdido em campo. O time da casa bate horrores, nem cartão amarelo acontece. André Santos leva um por reclamação. No final do primeiro tempo, gooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooolll.
E assim segue a vida. No final do jogo, Fabiano é expulso ? a única notícia boa: Fabiano não joga o próximo jogo.
Para mim vai ser assim: sem Cuca, e com Fabiano, rebaixamento. Com Cuca, e sem Fabiano, o Flamengo poderia surpreender. Vamos ver se sem os dois há chances de sobrevivência.

Os favoritos para cair: (Fortaleza, Goiás, Paraná, Juventude)
Fortaleza ? O frango de Bosco pela Copa do Brasil recentemente foi a cara do Fortaleza de hoje: tremedeira quando ultrapassa a fronteira cearense. Tudo bem, atropelaram no final e ganharam o vice-campeonato da segunda divisão, mas o time ainda é sofrível. Chegaram Igor, aquele baixinho que jogou no Flamengo em 2003, Paulo Isidoro, veteraníssimo ex-Vitória e André, notório farrista que andou pelo Internacional em 2002/2003, amante das noites. A vantagem é que Chiquinho voltou do Vasco a tempo de ser campeão estadual, e eles ainda têm Ronaldo Angelim na zaga e Erandir no meio para marcar. Senão, era um sacode atrás do outro. Mas aposto neles para cair de volta, mesmo com toda essa marcação.
Goiás ? esta é uma aposta arriscada minha, eu sei. Como apostar no rebaixamento para um clube que arrancou das últimas posições em 2003 até quase se classificar para a Libertadores, terminando em nono lugar? Como apostar no rebaixamento para um time que chegou bem no Brasileiro do ano passado, em sexto? Muito complicado, mas não tanto se lembrarmos que o técnico Péricles Chamusca pediu o boné antes que o povo goiano explodisse em festa no título estadual do Vila Nova (o time mais popular do Estado). A esperança de não cair está em Paulo Baier, bom lateral para times medianos, e Rodrigo Tabata. Mas uma zaga que tem André Dias (aquele que jogou no Flamengo) e Júlio Santos (ex-São Paulo) promete dar sustos. E é por aí que aposto na queda goiana ? infelizmente, pois é um time pelo qual sempre nutri simpatia. O Goiás, porém, não planejou. Por isso vai cair.
Paraná ? Os jogadores de maior renome são Edinho, ex-lateral vascaíno, Messias, que jogou no Flamengo de 2002, e Renaldo, aquele que se gaba de jamais ter perdido um pênalti. O técnico é Lori Sandri. Acho que desta vez o Paraná vai lá para baixo.
Juventude ? O Juventude fez um estadual horroroso, sequer disputou o título, e tem Valentim, Juliano e Zé do Gol, ex-flamenguistas, e Marcelo, ex-atacante do Fluminense. Com um elenco destes, não dá para sonhar mesmo. Acho que o técnico Ivo Wortmann, porém, se livra do desastre ? sai antes. Na primeira dança de técnicos (pode acontecer uma a partir do São Paulo sem Leão), Ivo deve pegar um cargo melhor e o Juventude vai para o asilo da segunda divisão.
Estes são meus prognósticos. Agora, é claro, confiem desconfiando. Se futebol tivesse lógica, não precisavam nem entrar em campo. Como disse o colorado Renato de Alexandrino certa vez: quer ganhar na Loteria Esportiva? É só copiar os prognósticos do Nove Meses e jogar tudo ao contrário...

posted by Gustavo de Almeida at quinta-feira, maio 26, 2005


wquinta-feira, setembro 25, 2003


O novo treino do Flamengo
O auxiliar de Oswaldo, Fábio Mahseredjian, criou um novo sistema de "estimulação de reflexos" para os jogadores do Flamengo. Ele grita dois números e os caras respondem. Uma fonte da Gávea me contou os diálogos:
Fábio: - 6 x 2!
Jogadores: - Paraná Clube!
Fábio: - 4 x 1!
Jogadores: - Atlético Paranaense!
Fábio: - 5 x 3!
Jogadores: - Guarani!
Fábio: - 5 x 0!
Jogadores: - Coritiba!
Fábio: - 0 x0!
Jogadores: - Saiu o salário?

Assim é o time que, garanto, em exatamente mais seis rodadas estará disputando a permanência na primeira divisão (isso se insistirem em manter Fernando, Fábio Baiano, André Gomes e Jônatas dentro do elenco).


posted by Gustavo de Almeida at quinta-feira, setembro 25, 2003


wdomingo, setembro 07, 2003


Aos nossos amigos debatedores
Como devo ficar mais um mês de cama, comunico que devo retornar às atividades do NOVE MESES em outubro.

posted by Gustavo de Almeida at domingo, setembro 07, 2003


wsegunda-feira, agosto 18, 2003


Lista de técnicos atualizada
Com a evolução do meu quadro clínico (como sabem os amigos, estou com hérnia de disco nas vértebras L5-S1), posso ficar em média cinco a dez minutos em pé. Aproveito para escrever um pouco e não deixar o NOVE MESES abandonado completamente, e desde já agradeço aos amigos debatedores que continuam entrando e prestigiando.
Lamento apenas a ausência do vascaíno Luis Edmundo, o debatedor mais divertido de todos – ele está de férias e não vem acessando o NOVE MESES. Mas pede para avisar que em breve voltará a defender (sabe-se lá como) seu Vasco aqui nos comments.

1-Luis Carlos Cruz (Fortaleza, demitido depois do jogo contra o Figueirense
pela Copa do Brasil, mas já de volta ao Fortaleza)
2- Bobô (Bahia)
3- Oswaldo de Oliveira (São Paulo)
4- Cristóvão Borges (Juventude)
5- Édson Gaúcho (Criciúma)
6- Daryo Pereira (Paysandu - foi para o Grêmio)
7- Candinho (Goiás)
8- Cuca (Paraná Clube - foi para o Goiás, por vontade própria)
9- Tite (Grêmio)
10- Ferdinando Teixeira (pediu para sair do Fortaleza)
11 - Vágner Benazzi (Figueirense)
12- Marinho Peres (Juventude)
13- Joel Santana (Vitória)
14- José "Pepe" Macia (Guarani)
15- Renato Gaúcho (Fluminense)
16- Antônio Lopes (Vasco)
17- Adílson Batista (Paraná Clube)
18- Nelsinho Baptista (Flamengo)
19- Celso Roth (Atlético Mineiro)
20- Mário Sérgio (São Caetano)
21- Daryo Pereira (Grêmio)
22- Edinho (Vitória)
23- Nelsinho Baptista (São Caetano)
24- Vadão (Atlético Paranaense)
25- Lori Sandri (Criciúma)
26- Evaristo de Macedo (Bahia)
27- Arthur Neto (Figueirense)
28- Luis Carlos Cruz (Fortaleza)



No frigir dos ovos
Não faltaram profetas, há três ou quatro rodadas, para decretar que o Campeonato Brasileiro já estava sendo disputado apenas por Cruzeiro, São Paulo e Santos. De repente, duas vitórias seguidas e olha o Internacional aí com 47 pontos, junto do São Paulo e com quatro pontos a menos que o líder. Explicação? A volta do craque Nilmar.
É possível que, com a volta do pereba Clayton Xavier (o homem que chutou pro alto a medalha de ouro contra a Argentina, num chute ridículo) o time caia de produção,mas eles pegam o combalido Flu, quinta-feira, no Beira-Rio.
DISPUTAM O TÍTULO: Cruzeiro, São Paulo, Santos, Internacional, Coritiba e Corinthians. Este último, por ter mais tradição e torcida do que os que estão na frente dele (Criciúma, São Caetano e Atlético Mineiro, este não é campeão de jeito nenhum). Apesar de ter 14 pontos a menos que o líder, o Corinthians ainda tem time e torcida para uma arrancada. É difícil demais, seria quase um milagre, um absurdo, mas pode acontecer.
DISPUTAM VAGA NA LIBERTADORES DO ANO QUE VEM: Além dos já citados acima, Criciúma, São Caetano, Paraná, Guarani. Os dois últimos desistem de vez se perderem duas seguidas.
NÃO TÊM MAIS PORRA NENHUMA PARA FAZER NO CAMPEONATO: Flamengo (só pode querer mesmo é conseguir resultados como o Juventude diante do Coritiba, aprender como se faz para perder de pouco), Vasco, Figueirense, Atlético Paranaense, Paysandu.
VÃO DISPUTAR UM CAMPEONATO MUITO MAIS EMOCIONANTE: Vitória, Ponte Preta, Goiás, Fortaleza, Juventude, Fluminense e Grêmio. A maioria pode ficar tranquila, pois parece ser difícil tirar a “liderança” desses dois clubes, pelas razões que exponho abaixo.


posted by Gustavo de Almeida at segunda-feira, agosto 18, 2003


w


Sintomas de queda
Grêmio e Fluminense têm, no atual momento do campeonato, motivos para serem rebaixados, com todos os merecimentos. O Tricolor carioca não deveria merecer um rebaixamento, por sua história e tradição, mas um time que não faz gol no Flamengo realmente é suspeito. Como não fazem gol em uma defesa que tem Fernando? Ainda mais se considerando que o zagueiro rubro-negro tem a fórmula perfeita do Gol Tomado: a falta próxima da área. Ontem cometeu duas, pelo que vi, ambas desperdiçadas, uma delas pelo bom zagueiro Rodolfo, uma grande revelação tricolor, infelizmente tendo que ganhar espaço no futebol brasileiro dentro de um time sob extrema pressão.
Já o Grêmio, nem é preciso falar muito. Na partida contra o Goiás, fizeram a seguinte promoção: dois ingressos pelo preço de um e ainda direito a 50% de desconto em uma pizza grande.
Nada mais banal, nada mais abjeto.
Na entrada do Olímpico, segundo os narradores do SporTv, distribuíram apitos. Ora, esse tipo de artifício já foi usado, sim, pela torcida do Flamengo, mas para decidir um campeonato, sob a tensão da final, como forma de apoiar o time em busca de um título – é incrível que um clube faça o mesmo em uma partida contra o Goiás.
E o pior: perdem a partida. Quero ver o que acontecerá no Olímpico se minha intuição quanto à capacidade do Cruzeiro se manter em primeiro (acho que não se mantém) estiver certa e o Inter, por um desses joguetes do destino, se tornar mais um tetracampeão brasileiro em 2003.

***
O São Paulo despachou Kaká, o Cruzeiro teve que liberar Deivid, o Santos deve perder Diego para o Tottenham, além de já ter perdido os dois atacantes Ricardo Oliveira e Nenê para o futebol espanhol.
Os líderes do campeonato vão perdendo suas estrelas. Por que é que nenhum clube do exterior contrata o Fernando Diniz?

***
Acabaram meus cinco minutos a que tenho direito em pé por dia. A hérnia começa logo a doer. Abraços a todos.


posted by Gustavo de Almeida at segunda-feira, agosto 18, 2003


wterça-feira, agosto 05, 2003


Seleção do primeiro turno
Goleiro - Fábio (Vasco)
Lateral-direito - Paulo Baier (Criciúma), antes do doping
Zagueiro - Luisão (Cruzeiro)
Zagueiro - Alex (Santos)
Lateral-esquerdo - Leandro (Cruzeiro)
Volante - Fabinho (Flamengo) - o único regular daquele time
Volante - Maldonado (Cruzeiro)
Meia - Alex (Cruzeiro)
Meia - Daniel Carvalho (Internacional)
Atacante - Luís Fabiano (São Paulo)
Atacante - Aristizábal (Cruzeiro)
Melhor técnico - Vanderlei Luxemburgo (Cruzeiro)
Melhor jogador - Alex (Cruzeiro)
Revelação -Nilmar (Internacional)
Pior queda livre - Fluminense, seis derrotas seguidas
Melhor recuperação - Criciúma, de 21º para 6º e Ponte Preta, de 23º para 12º
Prêmio Chinelão - Felipe (Flamengo)
Decepção - Edmundo (Vasco) e Edílson (Flamengo)
Gol mais bonito - Alex (Cruzeiro), contra o São Caetano, na primeira rodada
Maiores pixotadas - Clemer (Inter) contra o Goiás e Júlio César (Flamengo) contra o Bahia
Pereba-mor - Emerson (Guarani)

posted by Gustavo de Almeida at terça-feira, agosto 05, 2003


w


Mais fácil explicar as estátuas da Ilha de Páscoa
Yan e Fernando Diniz? Igor e Jônatas (tudo bem, não são grande coisa, mas eram dos poucos que corriam) fora do time? André Bahia na reserva?
Vem cá, esse é o "grande técnico"?
Inexplicável.

posted by Gustavo de Almeida at terça-feira, agosto 05, 2003


w


25 técnicos e uma hérnia de disco
Acertei que o Vadão - ou Oswaldo Alvarez, como queira - seria o próximo a ser demitido. Bom, grandes merdas. Ele andava pela corda bamba desde o início do campeonato. O que me surpreendeu mesmo foi a saída de Lori Sandri (ainda nào confirmada oficialmente) do Criciúma.
Gilson Kleina, que conduziu o Tigre interinamente a uma seqüência de seis vitórias, volta ao comando.
E eu devo escrever até quarta-feira um balanço rápido do primeiro turno, já que não posso ficar muito tempo em pé (sim, sentado é impossível, por causa da pressão na vértebra, portanto estou com o computador apoiado em caixas de som, para teclado e monitor ficarem no alto - fico igual um recepcionista de motel, escrevendo em pé).
Segue a lista, para a gente guardar sempre:
1-Luis Carlos Cruz (Fortaleza, demitido depois do jogo contra o Figueirense
pela Copa do Brasil, mas já de volta ao Fortaleza)
2- Bobô (Bahia)
3- Oswaldo de Oliveira (São Paulo)
4- Cristóvão Borges (Juventude)
5- Édson Gaúcho (Criciúma)
6- Daryo Pereira (Paysandu - foi para o Grêmio)
7- Candinho (Goiás)
8- Cuca (Paraná Clube - foi para o Goiás, por vontade própria)
9- Tite (Grêmio)
10- Ferdinando Teixeira (pediu para sair do Fortaleza)
11 - Vágner Benazzi (Figueirense)
12- Marinho Peres (Juventude)
13- Joel Santana (Vitória)
14- José "Pepe" Macia (Guarani)
15- Renato Gaúcho (Fluminense)
16- Antônio Lopes (Vasco)
17- Adílson Batista (Paraná Clube)
18- Nelsinho Baptista (Flamengo)
19- Celso Roth (Atlético Mineiro)
20- Mário Sérgio (São Caetano)
21- Daryo Pereira (Grêmio)
22- Edinho (Vitória)
23- Nelsinho Baptista (São Caetano)
24- Vadão (Atlético Paranaense)
25- Lori Sandri (Criciúma)
26- O próximo? Apostaria em Geninho mesmo, se o Corinthians não vencer o Figueirense, em casa, nesta quinta-feira.

posted by Gustavo de Almeida at terça-feira, agosto 05, 2003


wdomingo, julho 27, 2003


22 técnicos, ops, foi mal, 23 na verdade
Uso o mesmo post para atualizar: Nelsinho, que chegou ao São Caetano elogiando a estrutura do clube azul, exaltando o fato de ser "melhor que a do Flamengo", já fez as malas para ir ao Japão - quem sabe em busca de mais estrutura.
Eu, aliás, ando sentindo falta de estrutura na minha conta bancária, e posso sentir mais falta ainda, se tiver que tirar licença médica no INSS por causa da hérnia de disco. Mas tudo bem, então é isso: 23 técnicos já saíram.
Continuam sete clubes (Cruzeiro, Santos, Internacional, Corinthians, Atlético Paranaense, Coritiba e Ponte Preta) sem trocar de técnico. Mas minha aposta anterior, que era Geninho, muda para Oswaldo Alvarez, o Vadão. Acho que ele cai antes do corintiano. Segue a lista atualizada.
1-Luis Carlos Cruz (Fortaleza, demitido depois do jogo contra o Figueirense
pela Copa do Brasil, mas já de volta ao Fortaleza)
2- Bobô (Bahia)
3- Oswaldo de Oliveira (São Paulo)
4- Cristóvão Borges (Juventude)
5- Édson Gaúcho (Criciúma)
6- Daryo Pereira (Paysandu - foi para o Grêmio)
7- Candinho (Goiás)
8- Cuca (Paraná Clube - foi para o Goiás, por vontade própria)
9- Tite (Grêmio)
10- Ferdinando Teixeira (pediu para sair do Fortaleza)
11 - Vágner Benazzi (Figueirense)
12- Marinho Peres (Juventude)
13- Joel Santana (Vitória)
14- José "Pepe" Macia (Guarani)
15- Renato Gaúcho (Fluminense)
16- Antônio Lopes (Vasco)
17- Adílson Batista (Paraná Clube)
18- Nelsinho Baptista (Flamengo)
19- Celso Roth (Atlético Mineiro)
20- Mário Sérgio (São Caetano)
21- Daryo Pereira (Grêmio)
22- Edinho (Vitória)
23- Nelsinho Baptista (São Caetano)

posted by Gustavo de Almeida at domingo, julho 27, 2003


wquarta-feira, julho 23, 2003


Nove meses em licença médica
Calma, o título saiu meio confuso. Mas o Nove Meses deve ficar até semana que vem sem atualização, devido às fortes dores que se tornaram insuportáveis. A sorte é que as coisas não devem mudar muito - o Flamengo, por exemplo, deve faturar um em seis pontos, o Vasco vai apanhar domingo e ganhar quarta, o Fluminense vai continuar uma zona e o Cruzeiro vai seguir na batalha contra o São Paulo - que só não vai aproveitar a derrota dos mineiros para o Paysandu (estou apostando nisso) porque não vai passar direito pela Ponte Preta na quinta-feira.
Até mais ver, ou até quando a dor melhorar.

posted by Gustavo de Almeida at quarta-feira, julho 23, 2003